BNP Paribas alvo de queixa de associações por “cumplicidade” no genocídio do Ruanda

Banco é dona da Cetelem

0 598

Segundo notícia da RTP e Agência Lusa avançada esta quinta-feira, a organização anticorrupção Sherpa, o Coletivo de Partes Civis para o Ruanda (CPCR) e a Ibuka France (a principal associação de sobreviventes do genocídio) acusaram o grupo bancário de ter permitido o “financiamento para a compra de 80 toneladas de armas, usadas para perpetrar o genocídio”.

De acordo com a ONU, 800 mil pessoas, essencialmente da minoria tutsi, morreram no Ruanda, em 1994.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Loading...